Valle Nevado: Uma aventura na neve

144232_Papel-de-Parede-Bandeira-Do-Chile_1280x800

O dia mais esperado chegou, e eu não via a hora de subir a montanha e ver a neve. Não era a minha primeira vez, eu já vi muita neve e já esquiei antes, mas fazia tanto tempo, que eu estava morrendo de saudades. Se você ainda não viu o primeiro post dessa viagem clique aqui.

416

Paquerando nosso destino na vista do café da manhã

Praticamente todo mundo que vai à Santiago e fica alguns dias na cidade acaba indo esquiar na Cordilheira dos andes, pois fica a uns 40km de distância. Porém o trajeto é um pouco demorado, as curvas são muito fechadas, enjoa pra caramba, a pista é estreita e no inverno está cheia de neve. Nós fomos de carro com o Luquinha, pois ele já conhecia o local e estava acostumado a subir na neve. Isso é muito importante, porque é bem perigoso dirigir ali. Então, se você não tem experiência em dirigir na neve, é melhor contratar um táxi ou  ir de excursão.

Continuar lendo

Três dias de compras e uma balada

144232_Papel-de-Parede-Bandeira-Do-Chile_1280x800

No nosso segundo dia em Santiago não tivemos a companhia do meu excelentíssimo esposo Rodrigo. Como disse no primeiro post dessa série do Chile, ele estava lá a trabalho, e nós aproveitamos para passear visitá-lo. Ele fez muita falta, primeiro pela companhia mesmo, depois com sua força e sabedoria….heheh…ajudando a gente a carregar a Melissa prá lá e prá cá e sendo nosso interprete, porta-voz e guia. O primeiro caso nós resolvemos, pois compramos um carrinho pra Mel logo de manhã (era nosso primeiro objetivo) e posso dizer que foi a melhor aquisição que fizemos na viagem. O segundo caso não teve jeito mesmo, tivemos que colocar nosso portunhol em prática e passamos momentos muito engraçados por causa disso.

Continuar lendo

Cerro Santa Lucia e Cerro San Cristóbal

144232_Papel-de-Parede-Bandeira-Do-Chile_1280x800

Já descansada do post anterior, onde falei da nossa manhã pelo Centro  de Santiago nesse post, falarei agora da nossa tarde no Cerro Santa Lucia e Cerro de San Cristóbal. Cerro é como os chilenos chamam os morros. Então era certo que iríamos ver uns mirantes e paisagens bonitas.

Pegamos o metrô para a estação Santa Lucia (metrô é a melhor forma de andar por Santiago), e chegamos rapidinho. O Cerro Santa Lucia está localizado no centro, tem cerca de 70 metros de altura e tem uma vista panorâmica da cidade. O morro já foi usado como fortaleza pelas tropas leais ao Rei da Espanha, no início do século 19. Quando chegamos  a Melissa estava dormindo, então, olhamos bem toda aquela escadaria e resolvemos não subir, ou seja, não conhecemos absolutamente nada, a não ser a entrada principal.

302

Cerro Santa Lucia

Continuar lendo

Santiago do Chile: Introdução e Centro da cidade

144232_Papel-de-Parede-Bandeira-Do-Chile_1280x800

No final de agosto de 2010 fui visitar o marido que estava em Santiago à trabalho, e uma parte da família (mãe e irmã caçula) aproveitou a onda foi junto porque eu insisti muito. Melzinha tinha acabado de fazer 1 aninho, tinha começado a andar naqueles dias, íamos ver neve e eu no caso, matar a saudade do marido. Era muita ansiedade pra uma pessoa só. Resolvemos de última hora, então tudo foi uma surpresa, não fizemos roteiro e não sabíamos o que íamos encontrar.

Só para nos familiarizarmos, Santiago é a capital do Chile, fica num vale ao lado da Cordilheira dos Andes e tem uma população de quase 6 milhões de habitantes. É uma cidade com um “ar europeu”, muito linda.

Pra começar com o pé esquerdo, quando chegamos no aeroporto, eu esqueci que tinha uma banana na minha mochila, (eu ia dar pra Melissa no vôo) e não declarei. Pra quê!!! Foi o maior perrengue que passei na vida.  A polícia já me tirou dali, fui pra uma salinha sozinha, começaram a me questionar, queriam me multar, comecei a chorar, entrar em desespero, e minha vontade era pegar o próximo vôo para o Brasil e ir embora. Quase que eu como a banana pra não ter mais a prova do crime e eu me livrar daquela situação humilhante. No fim das contas, eles me liberaram, sem multa nem nada, devem ter ficado com dó de mim, que não parava de chorar.  Eu saí correndo dali e já fui me encontrar com o resto do pessoal que já tinham se encontrado com o Rodrigo. Dei um abraço apertado nele e não queria mais pensar no incidente. Afff, eu nem ia contar esse começo desastroso, mas tenho que ser fiel nas publicações né? Lição aprendida (nunca mais levarei banana nenhuma pra viagem), bola pra frente e vamos aproveitar a viagem.

Continuar lendo