Magic Kingdom – Parte 1

Hoje é dia de falar de Magic Kingdom (MK), que delícia, poderia ter assunto mais divertido?(Acho que serei repetitiva nos próximos posts quanto à diversão…rs). Acho que é o melhor jeito de começar a viagem para Orlando, já cai logo sua ficha de que você realmente está na terra da magia.

Magic Kingdom

O Magic Kingdom é um dos 4 Parques temáticos da Walt Disney World, é inspirado na Disneyland Califórnia, foi inaugurado em 1971, e é o parque temático mais visitado do mundo. Ele é o parque mais infantil, se assim podemos dizer, o mais mágico, com os personagens do Mickey e as princesas. O Castelo da Cinderela é o símbolo deste parque, e acho que não tem quem não o conheça, é quase que o símbolo da Disney.

O parque é dividido em 6 partes temáticas: Main Street, Adventureland, Frontierland, Liberty Square, Fantasyland e Tomorrowland. Ele nem é tão grande assim, é o segundo menor, só ganha do Hollywood Studios, mas mesmo assim é bem difícil (praticamente impossível) conseguir ir em todas as atrações.

Magic Kingdom

Já vou avisar que mesmo que minha intenção fosse fazer um post absolutamente detalhado e com informações ultra secretas e super avançadas para os mais entendidos sobre Orlando, Disney, parques e compras, acho que eu não conseguiria. Tem muitos, mas muitos blogs maravilhosos e super completos, que te diz até qual a cor da cueca do mickey….rs. Brincadeiras à parte, o que eu quero é que vocês se divirtam e aproveitem de alguma forma lendo isso aqui.

Voltando ao post, assim que você estacionar o carro (e tirar uma foto do local para não esquecer depois), você vai pegar um trenzinho que te leva até a bilheteria. Depois de pegar os ingressos, que são uns cartões com os personagens, você tem que ir até a entrada do parque, ou de trem (monorail) ou de barco (ferryboat). Nós fomos de monorail, mais rápido, prático e divertido, na minha opinião.

Magic Kingdom

Trenzinho que leva a gente do estacionamento até a entrada do parque

Ficamos no último vagão, e o barulho do motor era bem alto, por isso dona Melissa está tampando os ouvidos.

Magic Kingdom

Mamãe no trenzinho, segurando o carrinho da Mel

Magic Kingdom

Ingressos

Só fazendo mais um parênteses aqui, se você vai com criança, leve carrinho, mesmo os maiorzinhos (acredito que até uns 7 anos) uma hora cansam, e o carrinho ajuda muuuuito. Não tivemos tempo ruim com a Melissa, ela mesma já ia para o carrinho, nem reclamava. Foi bom para todo mundo.

Chegamos cedo e deixamos a magia tomar conta da gente. Eu estava ainda mais emocionada pela minha filha, que olhava tudo com brilhos nos olhos.

Magic Kingdom

Família Kalil na Disney

Eu tinha tudo planejado, como íamos andar pelo parque para não perder tempo, correr para o fastpass para agendar os brinquedos, quais brinquedos valeriam a pena, mas depois que a gente entra, leva um tempo para conseguirmos raciocinar, os primeiros instantes são pura emoção, e faz parte da mágica do lugar, então relaxe e aproveite.

Magic Kingdom

Símbolo do MK, o Castelo da Cinderela

Magic Kingdom
Magic Kingdom

Magic Kingdom

 

Magic Kingdom

Estátua Partners do Walt Disney com o Mickey

Para chegar até o Castelo você atravessa a Main Street, que é cheia de lojinhas que vendem comida e produtos, e a decoração é de uma pequena cidade dos EUA, inspirada na infância de Walt Disney e no filme A Dama e o Vagabundo.

Passando embaixo do castelo, vimos várias meninas de princesas, porque ali funciona a Bibbidi Bobbidi Boutique, obviamente que a Mel quis também, porém eu não tinha conseguido reserva, mas uma mãe preparada como eu resolveu a parada…hehehe. Eu sabia que isso ia acontecer e levei de casa um vestido de princesa, para a minha princesa se sentir em casa também. 🙂

Magic Kingdom

Olha a carinha dela querendo se vestir

Magic Kingdom

Pronto Cinderela, aproveite seu castelo

Magic Kingdom

Depois disso tudo, comecei a me situar e a colocar em prática meu planejamento, que era seguir o mapa no sentido horário, passando por todas as áreas do parque. Então fomos todas para Adventureland. Caminhando tranquilamente pelo parque, felizes e saltitantes eis que surge uma princesa no nosso caminho, ainda estava sozinha, sem ninguém por perto, então a Mel gritou: “olha a Tiana!!”, soltou a minha mão e correu na direção dela, depois ficou tímida e me esperou para ir junto.

Magic Kingdom

Ainda tímida no encontro

Magic Kingdom

Claro que eu também quis tirar foto com a Titi

Magic Kingdom

Olha que princesas!

Magic Kingdom

A Mel adora a Tiana

Depois dessa emoção, continuamos nosso caminho rumo a Adventureland,  quando encontramos alguns funcionários que estavam agendando o fastpass. Vou explicar rapidinho o que é isso. É um fura fila que ninguém fica bravo. Todos as pessoas tem direito de escolher gratuitamente três atrações para pegar uma fila especial, no horário agendado, assim você não perde tempo. O esquema é escolher as atrações mais concorridas, para valer a pena. Na época que  fomos, ainda não dava para ser agendado pela internet, só para os hóspedes dos hotéis da Disney. Foi liberado uns dois meses depois  para todo mundo, então agora você já pode e deve deixar agendado seu fastpass antecipadamente via internet.

Para a escolha das atrações no nosso caso, nós pensamos na Mel, para ela  ficar menos tempo na fila das atrações que ela com certeza ia querer visitar. Eis nossas escolhas: Enchanted Tales with Belle,  Princess Fairytale Hall e Mickey’s Phillarmagic.

Começamos a explorar Adventureland, e nessa parte o tema é aventuras na selva. As principais atrações são Jungle Cruise e Pirates of the Caribbean. Eu li em muitos blogs que o Junge Cruise é bem legal,  tanto que a maioria das pessoas a descrevem como “imperdível”, mas a gente lá na hora não sentiu essa necessidade, achei o passeio meio parado e o guia fala tudo em Inglês. A atração se trata de um cruzeiro pela selva com animais animatronics (bonecos mecanizados), que se movimentam e emitem sons. Acredito que numa próxima viagem eu faça ele, mas dessa primeira vez tínhamos outras prioridades.

Já o Pirates of the Caribbean eu gostei. A atração já começa na fila, tudo rico em detalhes. Você pega um barquinho e assiste a uma vila sendo atacada por piratas (bonecos animatronics), muito bem feito.

Uma atração imperdível para quem está com criança é a Magic Carpets of Aladdin. Esse tipo de atração se repetirá por todos os parques e muitas vezes no mesmo parque, mas as crianças adoram. É aquele tipo de brinquedo que fica dando voltas e você controla o sobe e desce do carrinho. Nesse aqui você voa com o tapete do Aladdin ao redor da lâmpada mágica. A Mel adorou poder controlar nosso tapete.

Magic Kingdom

As crianças grandes no tapete do Aladdin

Outra atração que fomos, mas é bem bobinha é a Swiss Family Treehouse. É uma trilha que passa por uma casa na árvore bem grande. Conhecendo minha filha, claro que ela quis ir.

Vamos agora para Frontierland, o tema aqui é o velho oeste. É uma região bem movimentada porque tem duas atrações concorridíssimas, a Big Thunder Mountain e a Splash Mountain.

Já vou adiantar para vocês que para nossa tristeza a Splash Mountain estava fechada para manutenção. Eu já sabia que estaria, pois seguimos tudo pelo app My Disney Experience, que diz ainda o tempo de espera das filas, os horários para encontrar os personagens, reservas de restaurantes, horários dos shows e paradas, serve para os quatro parques e tem muito mais funções ainda, enfim, é um app muito útil na sua viagem para a Disney.

Restou nos a Big Thunder Mountain. Sabemos que não dá para esperar nada radical nesse parque, mas sabe que eu gostei!!! Mesmo sendo uma montanha russa beeeem fraquinha, a gente se diverte no brinquedo. Para variar o cenário na fila tem tantos detalhes, é tudo tão legal, que o clima já faz valer a pena.

Magic Kingdom

Na fila da Big Thunder

Magic Kingdom

Olha a cara da minha mãe de emoção

Isso é o que interessa desse velho oeste. Vamos continuar caminhando porque tem muito mais para vermos ainda. Na verdade chegou a hora do nosso almoço. Eu tinha reserva para o meio dia, no Be Our Guest, restaurante dentro do castelo da Fera, do filme ” A Bela e a Fera” . Então fomos para a New Fantasyland, que é onde fica o restaurante.

Adorei a ponte e os portões da entrada, e depois que entramos, adorei todo o resto. Quando eu for de novo, comerei novamente ali. Dentro dele existe três ambientes para você se sentar para comer. A sala onde a Fera guarda a rosa, com as cortinas e quadros rasgados e a rosa perdendo suas pétalas, como no filme. É bem interessante, mas muito escura para comer. A outra opção é uma sala com quadros da Bela e da Fera juntos, e detalhes que lembram o filme, parece um ambiente mais requintado, é bem bonito, mas achei mais sério. E o salão principal, onde acontece a dança da Bela e da Fera, foi a sala que escolhemos para comer. Gente, a réplica é perfeita, cada cantinho, cada detalhe.

Magic Kingdom

Magic Kingdom

Portão do castelo

Magic Kingdom

 

Magic Kingdom

Magic Kingdom

Magic Kingdom

Já dentro do castelo, mas na fila ainda

Magic Kingdom

Olha a pintura do teto e os lustres

Magic Kingdom

Magic Kingdom

Lá fora é sempre noite e as vezes neva

Magic Kingdom

A rosa da Fera

Magic Kingdom

Você come mas não pára de ficar reparando nos detalhes. Não é tão caro almoçar lá, pois é fast-food. Já a janta, é outro esquema, a La Carte, com preços bem mais altos.

Estou percebendo que tem assunto pra caramba ainda e esse post vai ficar cansativo (é possível com esse assunto?), então vou dividí-lo no meio. No próximo post continuo nosso dia no parque mais Disney de todos. Não fujam hein!!

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Magic Kingdom – Parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s